Infiltrado - Crítica

Guy Ritchie acerta mais uma vez, em sua mais nova colaboração com com Jason Statham mostra um filme cheio de ação, mas também com coração.


Infiltrado, título que em português, não faz jus ao título original Wrath of Man, que já nos dá um vislumbre em partes para onde o filme vai e as intenções do personagem, chamado apenas por H vivido por Statham.


O filme nos leva ao mundo dos motoristas de carro-forte, famoso alvo nos filmes de Heist ou assalto, lembrando um dos melhores filmes do gênero: Fogo Contra Fogo lançado em 1995 de Michael Mann com Robert De Niro e Al Pacino.



Apesar de trazer alguns dos elementos já conhecidos, Ritchie nos leva por uma jornada pouco explorada do lado desses profissionais que vivem diariamente nesse mundo perigoso, como é mostrado em cenas que os motoristas estão sempre em alerta e sobre pressão quando estão nas ruas. O filme nos apresenta esse personagem misterioso vivido por Statham que está atrás de uma oportunidade de trabalhar nesta empresa.



O protagonista da trama é introduzido como uma pessoa sisuda, e até antissocial, em cenas com seus colegas de trabalho você já percebe que tem algo a mais com esse personagem. Mas não demora muito para Guy Ritchie nos pegar pela mão, já na primeira cena de ação, violenta e explosiva, e já mostra sua assinatura, pelos cortes e pela fotografia, lembrando novamente o clássico Fogo contra fogo de uma forma desconstruída.


A partir deste primeiro ato, o filme mostra a que veio, revelando aos poucos as intenções de H e nos deixando a par como peças de quebra cabeça o porquê dele estar lá.



Guy Ritchie conhecido por clássicos como Snatch: Porcos e Diamantes e Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes, os dois longas também com Jason Statham no elenco, trás de volta vários aspectos de seu modo operandis nesse filme, como cenas mostradas em outros ângulos, a partir do ponto de vista de cada personagem, passagens rápidas entre flashbacks e o presente, seu humor e claro sua estética visual.



O filme não é uma obra prima no cenário atual com vários filmes do gênero saindo a torto e a direita, e nem de longe o melhor filme de Ritchie. Mas trás algumas surpresas interessantes, o pano de fundo não é novo ou original, mas nos é apresentado de uma forma diferenciada e surpreendente. Algumas surpresas no elenco, como

Holt McCallany de Mindhunter, sempre primoroso, e o retorno de alguns atores que estavam meio sumidos atuando mais em filmes B, como Josh Hartnett e Andy Garcia. O resto do elenco de apoio como Scott Eastwood e Jeffrey Donovan mais conhecido pela odiada sequencia da Bruxa de Blair, preenchem bem seus papeis e ajudam o andamento da trama.


Infiltrado foi uma bela surpresa que saiu esse ano em meio a todo esse caos com a carência de bons filmes devido a pandemia. Pra quem é fã do gênero de ação, e principalmente fã de Guy Ritchie é um filme que não se deve deixar passar batido. Longe de ser uma obra prima, é um filme que entretém e te prende do começo ao fim, Jason Statham sendo ele mesmo, porém como citei é um personagem de cara fechada então não esperem uma super atuação, de um ator que já tem seus méritos por fazer cenas de ação com excelência.




0 comentário
  • Twitter Clean
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Facebook Clean