Activision Blizzard pagará 18 milhões de dólares para resolver seu processo de assédio sexual

A Activision Blizzard está pronta para resolver o processo de discriminação de gênero, já que um tribunal federal aprovou hoje um acordo da editora com a Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego.


O acordo foi originalmente alcançado em setembro passado, mas objeções do Departamento de Emprego Justo e Habitação da Califórnia, que em julho passado entrou com seu próprio processo de discriminação de gênero contra a Activision Blizzard, impediram que o acordo fosse finalizado.



A juíza indicou na semana passada que estava inclinada a aprovar o acordo, aguardando "argumentos adicionais limitados" na audiência final de hoje e algumas revisões solicitadas pelo tribunal.


"Estamos satisfeitos que o tribunal federal que revisou nosso acordo com o EEOC está considerando que é 'justo, razoável e adequado e promove o interesse público'", disse o CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, em comunicado divulgado esta tarde.
"A aprovação do tribunal é um passo vital em nossa jornada para garantir que todos na Activision Blizzard sempre se sintam seguros, ouvidos e empoderados. Esperamos que as conclusões do tribunal - incluindo sua visão de que muitas das objeções levantadas sobre nosso acordo sejam imprecisas e especulativas - dissipará qualquer confusão que possa existir. Com todos os termos do acordo revisados ​​e aprovados, podemos seguir em frente."

O processo da EEOC disse que os funcionários foram “sujeitos a assédio sexual grave ou generalizado para alterar as condições de emprego” e que a Activision Blizzard “não tomou medidas corretivas e preventivas” quando informada sobre isso.


Além disso, o EEOC alegou que a Activision Blizzard discriminou funcionários que engravidaram e demitiu ou demitiu construtivamente funcionários que se queixaram de assédio sexual e/ou discriminação na gravidez.


O acordo também estipula que a Activision Blizzard não está admitindo irregularidades ou responsabilidades. Stephen Totilo, da Axios, informou hoje que o DFEH da Califórnia indicou que vai recorrer da decisão do juiz. Independentemente do resultado desse recurso, o próprio processo do DFEH contra a Activision Blizzard prossegue por enquanto.


Esta não foi a primeira vez que o DFEH tentou se intrometer no acordo de discriminação de um fabricante de jogos. Quando a Riot Games tentou resolver uma ação coletiva por discriminação de gênero em 2019 por US$ 10 milhões, o DFEH se opôs, dizendo que os demandantes poderiam ter direito a até US$ 400 milhões. Esse processo foi finalmente resolvido no final do ano passado por US $ 100 milhões.


Fonte: Games Industry


Siga nossas redes sociais e inscreva-se em nosso Canal no Youtube!

Twitter: @realcanalbang

Instagram: @canalbangoriginal

Facebook: http://facebook.com/canalbangoriginal

0 comentário
  • Twitter Clean
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Facebook Clean